Independência ou Morte!

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Ontem em minha aula de história, uma aluna que estava apresentando falou sobre esse quadro: o Grito do Ipiranga. Disse assim: " Todos nós sabemos que não foi bem assim né, que na verdade a família real contratou o Pedro Américo para pintá-lo dessa forma. Para dar grandiosidade à família real portuguesa". Tive um professor de história que ousou dizer que na verdade mesmo, Dom Pedro estava se curando de uma dor de barriga quando chegou a carta de Portugual mandando-o voltar. Nesse momento ele disse: Independência ou Morte!

Bom, fiquei a pensar: se esse quadro não traduz a realidade, será ele autêntico? Veridico ele não é. Mas e quanto à autenticidade? Bom... se o Pedro Américo realmente foi pago para fazê-lo, nesse molde, nesse caso ele seria autêntico, mas e se não? Será que mesmo no decorrer do história, todo mundo sendo ensinado que aquela foi a realidade será que um dia ele se tornaria autêntico? E verídico? Algumas pessoas dizem que uma mentira muitas vezes repetida se torna uma realidade...... O que vocês acham??

2 comentários:

Anônimo disse...

Camila Daniela

Olha Thais, eu bem me lembro desse comentário na apresentação. E quando vi o quadro me lembrei dele sem antes ver a postagem. Mas vamos lá...Com o pouco que sei, e talvez até sendo ousada em avaliar essa questão, devo dizer que essa história de "mentira muitas vezes repetida se torna uma realidade" não existe para a diplomática não. Ou talvez não deveria existir,ne...Visto que como vc disse o quadro é autêntico e não verídico. Esse é o fato e pronto! Na minha opnião está muito bem aplicado!!!
Bjus
;)

Rodrigo Gadita Calazans disse...

A história ao longo do tempo vai se adaptando a necessidade de cada geração, se formos analisar esse fato e este quadro durante anos foram considerados verdades, pois o governo queria que nossas crianças e adultos tivessem uma ideia heróica desse fato,porém ao longo do tempo o que vemos é que muitas verdades foram desmistificadas. Então no caso desse quadro vemos o contrário uma verdade dita mil vezes se tornando uma mentira.